Quinta, 26 de abril de 2018
67 999069758
Brasil

08/11/2017 ás 14h29

226

Alessandro Pereira Dias

Maracaju / MS

Exercícios Liberados Para as Grávidas.
Conheça todas as alternativas para sempre ficar em forma e cheia de energia durante e depois da gravidez.
Exercícios Liberados Para as Grávidas.
Foto Internet
Nem só de hidroginástica e caminhada é feita a rotina de malhação das futuras mamães. A prova disso são os inúmeros vídeos e fotos circulando nas redes sociais com mulheres malhando, correndo e até competindo durante a gestação. As imagens, geralmente, causam polêmica e dividem opiniões entre os usuários. Contudo, um novo relatório encomendado pelo Comitê Olímpico Internacional confirma que a atividade oferece menos riscos do que a gente imagina.

Em 1983, a corredora norueguesa Ingrid Kristiansen virou um mito do esporte porque venceu a Maratona de Houston, nos Estados Unidos, grávida de seu primeiro filho. Detalhe: ela completou a prova em 2 horas 33 minutos. Atletas mulheres, muitas vezes têm ciclos menstruais irregulares, por isso não é estranho engravidar e, sem saber, continuar com sua rotina normal de treino. Ao longo dos anos, pelo menos 17 mulheres já competiram nos Jogos Olímpicos durante a gestação.

No Brasil, o caso mais conhecido é o da jogadora de basquete Sílvia que, em apenas 3 dias, descobriu que estava grávida e deu à luz. Após se sentir mal, a atleta foi se consultar com um médico que revelou a gestação. Se os casos estão cada vez mais comuns, como pode ser seguro treinar e competir durante a gravidez? Como parte de seu compromisso com o esporte feminino, o Comitê Olímpico Internacional (COI) pediu para um grupo de peritos avaliar o tema.

“Existem alguns poucos estudos sobre o desempenho de atletas (ou pessoas que praticam exercício com muita frequência) e a gestação, mas parece que muitas mulheres continuam com sua rotina de atividades durante a gravidez e, aparentemente, isso não afeta o bebê (ou a mãe) de forma negativa”, afirmou o professor Kari Bo, autor da pesquisa.

Exercício sem dúvida

Pergunta. Treinamento funcional é uma boa escolha para gestantes?
Resposta. Sim, desde que em aulas adaptadas e com orientação de um professor treinado para trabalhar com grávidas. “Exercícios isométricos e que geram desequilíbrio devem ser descartados”, avisa Gizele Monteiro. “Tudo deve ser realizado com apoio, para conseguir controle total dos movimentos.”

Pergunta. Pratico corrida será que Posso continuar?
Resposta. Sim, desde que o seu médico tenha liberado e você faça acompanhada de um professor de educação física. “O volume e a intensidade dos treinos têm que ser controlados e diminuídos à medida que a gestação avança”, destaca Gizele Monteiro. Alguns profissionais sugerem uma redução de 30% na intensidade do exercício, se a mulher já é corredora; outros falam em manter os batimentos cardíacos a, no máximo, 140 por minuto.

Pergunta. E se eu quiser correr uma prova?
Resposta. Sem a preocupação de ganhar ou bater seu recorde pessoal, mas apenas para se exercitar, pode ir em frente. Prefira uma prova curta e não corra nos últimos meses de gestação, quando a barriga estiver pesada. Assim, você evita a sobrecarga nas articulações e no coração.

Pergunta. Aula de dança é uma boa?
Resposta. Sim. Dançar fortalece os músculos do corpo todo, melhora o fôlego e trabalha a consciência corporal, importante para se adaptar às novas formas e se conectar com o bebê. Ajuste o ritmo ao mês da gestação e busque uma professora acostumada com grávidas.

Pergunta. Posso fazer treino de jump?
Resposta. Não. O peso da barriga, a postura e alterações nas articulações alteram o equilíbrio da grávida. Pular sobre uma superfície instável vai aumentar ainda mais o perigo de se desequilibrar. Modalidades com saltos, giros, velocidade e mudanças bruscas de posição (step e esportes com bola, como vôlei, tênis e basquete), aliás, colocam em risco a aderência do embrião ao útero e o desenvolvimento do bebê. “Fora que exigem demais do sistema cardiovascular e, como articulações e ligamentos estão mais instáveis, aumentam o perigo de a mulher se machucar”, diz Alessandra Toassa, do projeto Futura Mamãe, da academia Competition, em São Paulo.

FONTE: Internet

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium