contador de acessos
Sábado, 16 de dezembro de 201716/12/2017
67 999069758
Trovoadas
22º
30º
32º
Maracaju - MS
Erro ao processar!
Hostinger hospedagem de sites 728 x 90
POLÍCIA
Domador de cavalos que matou cabo do Exército terá de pagar R$ 1 milhão.
Crime aconteceu em junho de 2008
Alessandro Pereira Dias Maracaju - MS
Postada em 17/11/2017 ás 19h55
Domador de cavalos que matou cabo do Exército terá de pagar R$ 1 milhão.

Morte do Militar em Campo Grande

A família do cabo do Exército, Leonardo Sales da Silva, receberá indenização no valor de R$ 1 milhão pela morte dele, ocorrida em 2008. O cabo foi atropelado e arrastado por cerca de 15 quilômetros por uma caminhonete F4000 conduzida por um domador de cavalos. Desembargadores da 3ª Câmara Cível negaram por unanimidade recurso do motorista e do dono da caminhonete, que terão de pagar a indenização por danos morais.


Conforme a denúncia, Fagner Gonçalves, que atuava como domador de cavalo, conduzia a caminhonete do patrão dele embriagado e atropelou o cabo, à época com 19 anos, no bairro Lageado. Em júri popular, realizado em 2008, Fagner foi condenado a 17 anos de prisão em regime fechado.


Proprietário da caminhonete recorreu à Justiça para que a anular a obrigação de pagamento da indenização. Na época, o judiciário entendeu que o dono do veículo também deveria pagar o valor em razão do funcionário ter cometido o crime.


Na apelação, o proprietário afirmou que o funcionário não estava em horário de trabalho e não tinha permissão para usar a caminhonete quando atropelou Leonardo.


Relator do processo, desembargador Fernando Mauro Moreira Marinho entendeu que há prova de que a família do cabo do Exército, que dependia dele na época, é de baixa renda e, por isso, faz jus ao recebimento da indenização.


O caso


O crime ocorreu na madrugada de 7 de junho de 2008. O domador tinha ido a um rodeio que acontecia no Parque Lageado, bairro de Campo Grande, e, ao sair de lá, atropelou o militar, que ficara enroscado num dos eixos do caminhão F-4000.


Mesmo alertado por pessoas que viram o acidente, segundo a denúncia, Gonçalves seguiu com o veículo por 15 km, 5,9 km dos quais já sabendo por meio uma ligação telefônica que o rapaz era arrastado. O domador se apresentou após o crime e ficou preso por um ano e três meses, até que conquistou a liberdade no TJ-MS.


 


No percurso dos 15 km, o caminhão foi seguido por vários carros, um deles conduzido pelo irmão de Fagner, que o telefonou e o avisou que o cabo do Exército era arrastado pelo carro. Ainda assim, segundo versão do domador de cavalos, ele não quis parar por acreditar que era seguido.


De acordo com o processo, a carteira de habilitação do réu à época do crime estava vencida e, além disso, o documento não o credenciava para conduzir um caminhão.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

Publicidade

Facebook

Publicidade

como conquistar a mulher dos seus sonhos.

Publicidade

Mais lidas do mês

Publicidade

Enquete
Se as eleições presidenciais do Brasil fossem hoje, em quem você votaria?

Bolsonaro
61 votos - 43.0%

Tiririca
40 votos - 28.2%

Lula
22 votos - 15.5%

Ciro Gomes
19 votos - 13.4%

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium