contador de visitantes
Quarta, 20 de setembro de 201720/9/2017
67 981813406
Ensolarado
20º
36º
36º
Maracaju - MS
dólar R$ 3,13
euro R$ 3,73
INTERNACIONAL
Estado da Virgínia, nos EUA, declara emergência após choques em marcha supremacista branca.
Marcha de grupos de supremacistas brancos nos Estados Unidos
Alessandro Pereira Dias Maracaju - MS
Postada em 12/08/2017 ás 19h17 - atualizada em 13/08/2017 ás 02h48
Estado da Virgínia, nos EUA, declara emergência após choques em marcha supremacista branca.

Marcha da supremacia branca


A realização da polêmica marcha “Unir à Direita”, convocada por um grupo de supremacistas brancos em Charlottesville (Virgínia, Estados Unidos), deixou vários feridos neste sábado (12) após enfrentamentos com opositores e provocou a declaração de estado de emergência.


Ainda que o início da marcha estivesse previsto para o meio-dia no Emancipation Park, no centro da cidade, minutos antes já começaram os primeiros confrontos violentos.


As palavras de ordem lançadas entre manifestantes, adornados com bandeiras confederadas e escudos de proteção; e os opositores, que acusam os organizadores de apologia a uma ideologia ultradireitista, rapidamente terminaram em chutes e murros.



Segundo a polícia de Charlottesville, os primeiros enfrentamentos se saldaram com vários feridos, sem detalhar a cifra exata ou a sua gravidade.


Por sua parte, o governador de Virgínia, Terry McAuliffe, se viu obrigado a declarar emergência estatal para “ajudar as autoridades a responder à violência”, segundo explicou em sua conta no Twitter.


Jason Kessler, organizador da marcha, destacou em um comunicado que a manifestação pretende defender a Primeira Emenda da Constituição, que protege a liberdade de expressão, e respaldar os “grandes homens brancos que estão sendo difamados, caluniados e derrubados nos EUA”.


A polêmica marcha foi organizada em protesto pela retirada de uma estátua em homenagem ao general confederado Robert E. Lee, que liderou as forças do sul durante a Guerra Civil americana, e depois da ocorrência de confrontos violentos na véspera.


A manifestação foi descrita como “o maior encontro de ódio em décadas nos EUA”, segundo o Southern Poverty Law Center, uma instituição que investiga grupos que fomentam a violência racial.


O assunto logo se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais. O ex-presidente Bill Clinton afirmou em seu perfil no Twitter que “assim como protegemos a liberdade de expressão, devemos condenar o ódio, a violência e a supremacia branca”.



 Charlottesville, situada a 300 quilômetros ao sudoeste de Washington, tem cerca de 46.000 habitantes e é sede da Universidade de Virgínia.





Pacote de Cursos Para Construção Civil


FONTE: Joven Pan
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

Publicidade

Facebook

Publicidade

Publicidade

Mais lidas do mês

Publicidade

Enquete
Se as eleições presidenciais do Brasil fossem hoje, em quem você votaria?

Bolsonaro
55 votos - 47.8%

Tiririca
26 votos - 22.6%

Lula
18 votos - 15.7%

Ciro Gomes
16 votos - 13.9%

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium